Tim-Tim-Tim-Tim!

timNão, não vou reclamar de forma generalizada. Sempre fui bem tratado e sempre recebi o que contratei. Também não é nada comum ter problemas de sinal.

Mas o dia de se aporrinhar sempre chega, né? Pois vejam que curioso.

Acabei de ligar pra Tim. Teclei 1056 e falei com o Douglas. A ligação foi encerrada às 16h36 (hora que o computador marcava).

Meu telefone, o aparelho, está em fim de carreira. Os botões já não funcionam direito, a bateria já não dura quanto deveria, às vezes desliga sozinho. Aí, entro no site e escolho o aparelho novo, vou comprar. E ligo para a Tim.

Depois de perder um tempo enorme com digite isso e aquilo e todos os nossos atendentes estão ocupados, o Douglas dá boa tarde e começa o atendimento. E me vem com a boa notícia:

– Não temos o aparelho em estoque.

Daí pra frente, segue o diálogo reproduzido (de memória)

– Ahn?

– Sr., não temos o aparelho em estoque.

– Como assim? Então tem que tirar o aparelho do site.

– Mas no site tem, Sr. Se o Sr. comprar pelo site, seu aparelho será entregue.

– Como assim?

– É diferente Sr. Se comprar pelo site, o Sr. paga no cartão de crédito. Conosco, o preço vem na conta. E nós não temos o aparelho em estoque. O Sr. não quer o aparelho XPTO (mais caro do que o que eu pedi).

– Não, eu quero o OTPX. E pra comprar no cartão, eu vou à loja da Samsung que será mais barato e vou ser melhor atendido.

– Ok Sr. O Sr. deseja mais alguma coisa?

– O protocolo.

– 2014011667336

Só eu acho esse diálogo além da imaginação? Como assim é diferente? Pombas, é ou não é a Tim?

Agora, alguém acredita que a Tim vá resolver o problema? DU-VI-DE-Ó-DÓ!

Anúncios

Simples assim

Não tem nada a ver com efemérides. É só um puta filme e isso basta. Porque ainda sou daqueles que acha que bons filmes, músicas, peças, livros são capazes de emocionar você (e não, não tem nada a ver com lágrimas, apesar desse filme).

São incontáveis as histórias e os produtos criados, recriados, contado e recontados sobre o 11 de setembro. Muita bobagem, muita coisa ruim, muita coisa boa também. Essa é mais uma história sobre aquele dia imbecil. Muito boa, muito bem contada. Um filme tocante. Simples assim.

P.S.: aproveite que o filme é em HD e veja com tela cheia. E coloque, se possível, um fone de ouvidos para ser engolido pela trilha.

GVT (ou como perder um cliente antes mesmo de conquistá-lo)

Lá estava eu, uma noite de segunda-feira das mais comuns, sentado em meu sofá, tentando assistir os telejornais à espera do jantar. E tocou o telefone.

Do outro lado, em resposta ao meu ‘alô’ mais amistoso que o habitual, uma gravação absolutamente impessoal. Da maneira mais simpática que uma máquina é capaz de ser, o locutor avisa que é da GVT, explica que tem uma promoção de TV HD + internet de sei lá quantos megas e que, se eu quisesse saber mais detalhes, bastaria teclar ‘1’.

Vivendo aquela insatisfação comum de qualquer cliente NET, resolvi dar trela e quando achava que falaria com alguém de carne e osso, uma nova gravação avisa que, em breve, alguém ligará para mim. E ‘tu-tu-tu-tu…’.

Depois de alguns 10 ou 15 minutos, o Ricardo ligou. Começamos a falar sobre o serviço oferecido e lá pelas tantas, disse que queria saber da tal promoção. O sujeito confirmou meu CEP e, depois de um tempinho em silêncio para verificar a viabilidade técnica da minha solicitação, deu-me a notícia de que a GVT ainda não chegou à minha quadra.

Como é que é? Os caras me ligaram (duas vezes!) para me oferecer um serviço que não podem me vender? Não é brilhante a estratégia?

Agora, como é que eu, consumidor, vou confiar numa empresa que não sabe o que faz e já me incomoda antes mesmo de eu ser seu cliente? Como é que vou confiar que uma empresa com esse nível de (des)organização vai me atender bem?

P.S.: os roteiros desses teleatendimentos são terríveis, estamos todos cansados de saber. Nesse caso da GVT, por exemplo, é preciso avisar a turma que prepara o material que a GVT nunca vai chegar à minha quadra. Talvez seu cabo chegue até lá. Além disso, seria simpático, de bom gosto mesmo, adaptar as mensagens e roteiros aos regionalismos característicos do Brasil. Porque, no Rio, chamar quarteirão de quadra é gafe tão grande quanto, em São Paulo, chamar guia de meio-fio.

A vida em gráficos (5)

Uma pequena homenagem a mais uma experiência gratificante com a Net.

 

Como usar suas mãos

Não sei se é novo, sei que se chegou ao meu e-mail já está espalhado pelo mundo.Recebi as reproduções de 23 cartazes de uma campanha global da AT&T. Reproduzo seis abaixo. Não sei se por coincidência ou implicância pelo clichê ‘samba, mulata, carnaval’, achei o cartaz do Brasil o mais fraco. Mas, no geral, gostei muito das peças.

Basicamente, pintura corporal nas mãos, substituindo a brincadeira antiga de sombras na parede, e os aparelhos celulares que eles querem promover, construindo cenários que tentam reproduzir a atmosfera de cada país. O conceito básico, ‘a melhor cobertura ao redor do mundo’.

Como não conquistar um cliente

dell2E depois de quase cinco anos de serviços bem prestados e dar pau apenas umas 294 vezes, fui obrigado a aposentar meu computador. Mas, ao se livrar de um, é necessário encontrar um substituto à altura. E eu aqui pensando que seria fácil, afinal existem poucas coisas mais corriqueiras hoje do que comprar um computador.

Então, à pesquisa. Entra em site aqui, procura em outro ali, um pulinho no Av. Central (pra quem não é do Rio, é uma espécie de shopping de informática entre a Av. Rio Branco e o Largo da Carioca), a certeza de que seria muito melhor realizar a compra em um site oficial, com a máquina fechada de fábrica e com todos os softwares originais. Mais barato e mais seguro, além de ser mais fácil de pagar.

E resolvi contar como foi essa experiência.

Os gringos

hpA moça da minha vida tem um HP, que gosto muito. Foi, então, a primeira a ser procurada. Fuxiquei o site de todas as maneiras possíveis e imagináveis, o que já não deveria ter acontecido, pois os links para as áreas de relacionamento deveriam aparecer de primeira. Enfim, descobri até que é possível simular configurações mas, na hora de comprar e ver preços, a orientação é procurar um representante.

Já puto pelo tempo que estava perdendo, mas persistente, encontrei um telefone para onde liguei, fui atendido por uma máquina e – de novo – a orientação é procurar um representante. Já decidido a não comprar um HP, resolvi enviar um e-mail para a empresa, criticando a falta de um atendimento ao cliente e a impossibilidade da compra direta.

Você, caro leitor, me respondeu o tal e-mail? Pois é, nem a HP. Então, fico pensando que se eles tratam assim quem quer comprar algo, imagino como seria se eu já tivesse algum produto.

Minha avaliação de consumidor: o produto até que é bom, mas a empresa é uma merda!!! Não comprem HP.

Tupiniquim

itautec_logo02Já que não consegui a primeira, resolvi tentar ajudar a indústria nacional e entrei no site da Itautec. Encontrar as coisas no site da empresa brasileira é infinitamente mais fácil do que na outra e, de cara, cheguei à página de produtos. Mas…

Não consegui encontrar uma área onde pudesse configurar uma máquina e, a partir daí, ver preços e todos os trâmites que envolvem a compra de qualquer coisa pela internet. Em compensação, a página de promoções estava lá e havia várias possibilidades. O problema é que as máquinas que me interessaram eram oferecidas em combos que incluíam um roteador ou uma impressora.

Como já tenho os dois periféricos, achei o 0800 e liguei para a empresa para tentar descobrir o que era possível fazer para melhorar a configuração da máquina que eu queria e me livrar dos combos.

A mocinha que me atendeu, muito simpática, me informou que mesmo que retirasse impressora ou roteador do pedido, os preços não seriam alterados e que as configurações da máquina eram aquelas mesmo. Ou seja, ‘come e cala’. Como não preciso e não concordo com isso, agradeci educadamente a atenção da moça incapaz de acreditar que eu não queria uma impressora grátis e enviei um e-mail para a empresa, criticando sua maneira de trabalhar.

Como na outra, ninguém me respondeu.

Avaliação do consumidor: nem sei se o produto é bom, mas já sei que a empresa é outra merda. Nem percam tempo, não arrisquem, não comprem Itautec.

A compra

Enfim, entrei no terceiro site, encontrei produtos e promoções, simulei configurações, fiz testes de preço e formas de pagamento e, para fechar negócio, entrei em contato por telefone. Não apenas fui muito bem atendido, como o rapaz me ofereceu uma máquina melhor do que a que eu tinha visto, pelo mesmo preço.

Resultado: negócio fechado e, a princípio, cliente conquistado por um bom tempo. A máquina deve chegar até dia 22.

Avaliação do consumidor: pode ser que tudo dê errado e eu passe a viver um verdadeiro inferno. É uma possibilidade que existe em qualquer relação de consumo, mas acho difícil. Não vou dizer o nome da empresa porque não estou aqui para fazer propaganda, mas qualquer um que pensar um pouco a respeito, ao eliminar HP e Itautec, verá que não sobram muitas opções. Principalmente de compra direta.