Alô você

E a história da licitação dos direitos de TV do campeonato brasileiro entre os anos de 2012 e 2014, que deveria terminar hoje com final feliz para todos os clubes, não está nem perto de acabar.

Globo já havia se retirado da concorrência. Hoje a Record também deu linha na pipa. Como Bandeirantes e SBT nem deram as caras, a Rede TV foi a dona da única proposta e – em tese – voltaremos a aturar o Fernando Vanucci apresentando os gols da rodada. Será?

De qualquer maneira, a cerimônia de hoje foi apenas mais um capítulo de uma novela que ainda vai se arrastar na justiça ao longo do ano. Reproduzo abaixo o post que o Juca Kfouri publicou em seu blog. Os grifos, claro, são dele.

O rato rugiu

Nem Globo, pelo menos por enquanto, nem Record, que jamais quis o futebol para valer, só quer ver a Globo se arder, mas RedeTV!

Que rugiu e levou, como no filme, “O rato que ruge”, quando um minúsculo ducado falido declara guerra aos Estados Unidos para ser absorvido e salvo, mas, por peripécias, obtém a rendição da nação mais poderosa do mundo.

E agora? O que fazer?

Por ironia, a RedeTV!, chamada nos acréscimos do segundo tempo, tem como seu comentarista de Política Urbana  o autor do Estatuto do Torcedor, José Luís Portella.

E o Bradesco e uma empresa estrangeira, que tem relações com a NBA, para respaldá-la.

Bradesco que vê aí a chance de disputar espaço com o Itaú, patrocinador do futebol global, da CBF e da Copa do Mundo no Brasil.

Se os bispos da Record mostraram mais uma vez que neles não se pode confiar, à Globo talvez caiba negociar com a RedeTV!.

Porque o Clube dos 13 promete não parar por aí.

Alega não só que cumpriu tintim por tintim o acordo que fez, junto com a Globo, no Cade, e que a emissora agora corre o risco de ser acusada de abuso do poder econômico caso procure fazer propostas melhores a cada clube dissidente, como se estivesse usando do direito de preferência do qual abdicou.

Mais: o Clube dos 13 vai procurar os clubes da Série B, para tentar melhorar o contrato com a TV de apenas R$ 30 milhões por ano até 2015.

E reforçar a ideia de formar a Liga, também com eles.

Até porque o Clube dos 13 é avalista e fiel depositário dos clubes que fizeram empréstimos já contando com o adiantamento do dinheiro da TV de 2012, com o que deram aos bancos cartas em que delegavam “poderes irrevogáveis” à entidade, argumento não utilizado até agora, mas que será utilizado a partir de agora.

Os dissidentes, por seu lado, argumentam que a Constituição lhe garanta autonomia e que nada os prende ao Clube dos 13, assim como a Globo estranha a diferença entre o discurso e o semblante do presidente do Clube dos 13 ao anunciar o vencedor da concorrência, além da falta da fiança bancária que era exigência inicial para a licitação.

Mas uma pegunta importante é a seguinte: o que farão nossos endividados clubes, dissidentes ou não, quando souberem que já há  mais R$ 300 milhões à disposição deles, os tais 20% de adiantamento do contrato de três anos que renderá R$ 1,548 bilhão só na TV aberta?

 

Anúncios

Há que se ter…

Ando tentando não falar e, de certa forma, até não pensar em Flamengo. É que tenho uma tendência a ser meio que profeta do apocalipse e a situação do time não é nada boa. Aliás, depois de tantos jogos sem vencer, ter em Kleberson o herói de um empate que quase foi vitória… Tá feio mesmo.

O que é estranho. Porque se olharmos para o time, jogador a jogador, dá pra ver que apesar do Val Baiano, não era pra estar como está. O time não é pior que a média dos outros times do campeonato. Mas alguma coisa não está encaixando.

Que a preparação física é um problema sério, é óbvio. O time anda em campo, já no primeiro tempo. E com uma média de idade alta mais um monte de gente que chegou muito fora de forma, não pode mesmo dar certo. Mas não é só isso.

Antes era o Rogério. Com sua completa inaptidão para ser técnico de futebol, foi – aos poucos – destruindo o pouco que sobrou do time deixado pelo Andrade. Que se na mão do tromba já andava rateando, com o ex-zagueiro foi pro saco.

Aí chegou o Silas, precisando lidar com um monte de reforços (?) fora de forma e mal ambientados.

Bom, ainda acho que o Flamengo é incaível, se é que a palavra existe. Como disse, o time não é tão ruim assim. Mas há que se mudar o espírito, o clima, a sorte etc etc etc. Há, resumindo, que se honrar o manto que se veste. E como diria um amigo muito delicado, para isso “há que se ter colhões”

Andrade

Não sei se todo mundo viu a entrevista dele ao Esporte Espetacular de domingo. Eu vi e fiquei chocado. Tirando a parte em que chega levantar o tema do racismo, todo o resto só serviu para se diminuir, se rebaixar mesmo. Não entendi como é que ele foi se prestar ao papel. De quebra, uma vergonha descobrir que o Flamengo ainda deve dinheiro pra ele, entre algum salário e prêmios do Brasileirão.

A gente sabe, correm as notícias de que a gestão de Patrícia Amorim e, de quebra, Zico tem enfrentado muitos problemas e bombardeios internos, mas há coisas que não se pode deixar acontecer. Porque se não bastasse toda a história do Andrade no clube como jogador, ele foi o técnico que levou o time a sair da fila de 17 anos do título nacional. Pombas, há que se ter vergonha na cara!!!

Mas apesar de não ter gostado nada da entrevista, do modo e do clima com que foi feita, parece que ajudou a melhorar alguma coisa. Notícia de hoje, o tromba está negociando com o Ipatinga (MG), com a ajuda de Nei Franco, o fundador da república do pão de queijo da Gávea, de quem foi assistente. Tomara que dê certo. O time um pouquinho pior que horroroso é lanterna da série B e não tem grandes expectativas. Seria uma boa maneira de começar uma carreira independente de qualquer vínculo com o Flamengo. Se salvar do rebaixamento, ótimo. Se não, tudo bem. Terá voltado para o mercado, batendo cabeça como qualquer técnico em início de carreira. Boa sorte ao nosso eterno camisa 6.