Coisas que não entendo sobre 25 de dezembro

Por que:

– Só fazer força para reunir a família no Natal?

– Só desejar o bem do próximo (e do distante, com trocadilho) no Natal?

– Só trocar presentes com pessoas queridas no Natal?

– Tanto valor aos presentes de Natal?

– Perdoar, ser tolerante, educado, gentil, fraterno e solidário apenas no Natal?

– Não assumir o famoso espírito de Natal durante todo o ano?

A quem conseguir responder minhas perguntas com bons argumentos, Feliz Natal.

A todos os outros, feliz 23 de dezembro, feliz 8 de janeiro, feliz qualquer dia, feliz todo dia.

Anúncios

Foto do dia: 1 ano, 1 mês, 18 dias

Foto do dia: 11 meses e 13 dias: a arte de Helena

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quase um ano. E como a grande maioria das crianças, Helena já começou a ensaiar seus primeiros passos. Fica em pé, dois ou três passos, senta; em pé de novo, três ou quatro passos, senta. Já poderia ter pingado um vídeo por aqui. Mas seria algo habitual, sem apelo de crítica ou público. Agora, quando você vê que seu nenenzinho já produz obras dignas de um Louvre, Prado, Met…

Ok, ok, claro que eu sei que é corujice. E daí?

De volta à vida

Não vi o Flamengo perder para o Inter. Não vi o policial acertar um tiro no garoto que estava na garupa do pai no Ceará. Não sei quais as últimas novidades dos casos Bruno e Mércia. Não ouvi o rádio da Ferrari. Não vi os índios capturarem reféns numa hidrelétrica de Mato Grosso. Não vi o Fluminense sacanear o Ricardo Teixeira. Não vi Lula criticar governos anteriores, mesmo depois de estar no poder há oito anos. Não vi Serra e Dilma repetir promessas de campanha feitas por Alckmin e Lula em 2006.

Não andei de ônibus, não me aporrinhei com o metrô. Comi bem, caminhei, dormi na rede. Meu celular não tocou. Não fui à internet. Não havia TV.

Sorri e vi minha família inteira sorrir.

Mas como é inevitável, estou de volta à vida.

Foto do dia: torcendo em família

Foto do dia: 6 meses e meio

Foto do dia: um homem de família 2 (ou falar mais o quê?)