Eliminado

Bastaram 30 minutos de bom futebol para provar o que eu já havia dito. O time do Ceará, com todo o respeito que merece, é horroroso. Aos 28 do primeiro tempo já estava2 a0, o resultado que o time precisava para se classificar. Daí, era só manter o ritmo para – naturalmente – fazer mais um ou dois e seguir com a vida.

O problema é que bastou o Ceará achar um gol e o juiz (ruim como qualquer um) inverter uma ou outra faltinha para mostrar como o Flamengo está despreparado para enfrentar a temporada como se deve.

Colocar a culpa da desclassificação no juiz é uma vergonha, hábito botafoguense que rubro-negros do campo e da arquibancada não deveriam criar. Pombas, o Angelim é profissional há mais de 300 anos. E fez duas faltas infantis, ambas para cartão amarelo sim. No lance do gol de empate, também tentaram criar um clima. Besteira, porque não houve nada errado. E daí pra frente, só piorou. Puro descontrole emocional.

Então, parabéns ao Ceará que jogou as duas partidas com galhardia e fez por merecer sua classificação. Mas, outra vez com todo o respeito, o Flamengo foi derrotado por si. Pelo jogo horroroso e apático no Rio (é claro que não me refiro ao abafa da última meia hora de partida), pela falta de cabeça no jogo de ontem.

E se temos um comissão técnica cheia de pompa e circunstância, é bom que ela comece a trabalhar direito.

Ronaldinho

Começou jogando muito bem, colocou Thiago Neves na cara do gol, para fazer1 a0. Deu outros bons passes, fez boas jogadas. E colocou Wanderley na cara do gol, para vê-lo chutar em cima do goleiro. Mas depois sumiu do jogo.

Nem em sua fase mais brilhante, no Barcelona, Ronaldinho foi o cara de decisão. Sempre foi um esteta, nos anos bons fazia muito mais coisas e tal. Mas se alguém contava que ele seria o cara que resolveria tudo na hora do aperto, ontem ele mostrou mais uma vez que não é. E ele não mudou. Nos momentos de aperto, em todos os lugares em que jogou, sempre sumiu dos jogos. Por que seria diferente no Flamengo?

Por aqui, seu papel é dar meia dúzia de bons passes, fazer um bom punhado de firulas e vender camisas. Não esperem mais do que isso, ou vão se aborrecer.

Detalhes

– Quem é pior? Rodrigo Alvim, Egídio ou o hidrante da esquina da minha rua?

– Que zaga a nossa, hein…

– Qual a relação misteriosa entre Luxemburgo e Fierro?

Perdeu

Sabem que cheguei a pensar em trocar o header do blog, tirar o escudo do Flamengo e colocar o do Ceará? Talvez fosse um pouco radical, eu sei. Mas, mesmo assim, mostraria que sou capaz de manter uma nesga de humor, por mais mórbido que fosse.

Na verdade, se formos todos um tantinho racionais, a derrota de ontem deixará de ser a surpresa que muitos acusaram. Por razões simples. Primeiro, o óbvio: toda série invicta acaba um dia porque nenhum time é invencível. Segundo: a aposta de José Ilan na vitória do Flamengo. Terceiro: o relaxamento habitual após a conquista de um título. E tudo isso eu já havia dito no post entre o título de domingo e o jogo contra o Ceará.

Quarto (e mais importante): o Flamengo não vinha jogando patavinas. Desde muito tempo. Mesmo no carioqueta que levamos de braçada, invictos e tal. Tudo porque o profexô não define um time, não dá a ele um padrão, não usa as peças que tem da maneira correta.

Pombas, se os melhores lampejos – é não tivemos melhores jogos, mas melhores momentos – do time foram quando tínhamos em campo uma armação com dois meias e dois atacantes de verdade, por quê o moço que adorava andar de terno não mantém a estrutura?

Não, não acho que o Flamengo deva demitir Luxemburgo agora. Mas só porque não há ninguém melhor no mercado.

O primeiro tempo de ontem foi vergonhoso. E o segundo, um baita dum abafa que um ou outro por aí já correu pra dizer que foi o melhor jogo do Flamengo. Não, meus amigos, não foi. Porque é ridículo que um time que entra em campo com Ronaldinho fora de posição, enfiado entre os zagueiros; porque é ridículo que Deivid, que esqueceu mesmo como se joga bola, saia da área para buscar jogo e tentar fazer jogadas; é ridículo que no time em que jogam Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves, o ataque dependa de bolas alçadas na área; é ridículo que, jogando contra o goleiro que mais dá rebotes no futebol mundial e interplanetário, jogadores com chutes potentes (como o próprio Thiago e Renato) não tenham sido orientados para chutar de média e longa distância..

Com todo o respeito, é ridículo perder um jogo para o Ceará. Mais uma vez, com todo o respeito, o time de Fortaleza é horroroso. Semana que vem tem o segundo jogo e precisamos de dois gols de diferença Que se jogar do jeito certo, consegue fácil.

Pra valer

Passada a confusão provocada pela notícia da ‘nona’ (e muito mal explicada) morte de Osama Bin Laden, falemos do que interessa. Não, não me refiro ao casamento do príncipe William ou da beatificação em tempo recorde de João Paulo II.

Parabéns pelo título, taça é sempre taça. Valeu pela hegemonia no estado naturalmente confirmada. Mas, conquistada a rapadura, quer dizer, o Campeonato Carioca 2011, já é possível dizer que vamos – finalmente – encarar desafios reais, jogos que realmente fazem diferença. Agora é pra valer e isso me causa um tanto de preocupação.

Pra começar, teremos o Ceará pela frente na próxima quinta, pelas quartas de final da Copa do Brasil. Jogo perigosíssimo por razões simples. A turma vem feliz para o campo, após um título e comemorações e não é raro que a concentração não seja ideal. De quebra, o José Ilan em seu Ilan House aposta na vitória rubro-negra. Se levarmos em conta o número de acertos do sujeito em previsões anteriores sobre o Flamengo, o risco de tropeço é enorme.

Mas não acredito que tenhamos maiores problemas, em dois jogos. Mesmo se o time repetir o papel ridículo do confronto contra o Horizonte, devemos passar pelo Ceará e ser declarado como Campeão Cearense 2011 para, depois, disputar uma vaga na final do certame nacional contra Coritiba ou Palmeiras.

É claro que temos todas as chances de sermos campeões e garantir a vaga na Libertadores 2012. Mas seria bom se o profexô parasse de se preocupar com a tal tríplice coroa para se concentrar na competição atual; seria ótimo se ele parasse de inventar Fierros e Fernandos; seria excelente se ele conseguisse dar padrão de jogo ao time; seria excelente se a diretoria providenciasse um lateral esquerdo decente, pelo menos um zagueiro seguro e atacantes que sabem fazer gol de verdade. Porque as competições nacionais, copa ou campeonato, não são carioquetas.

PS.: Até quando o Flamengo entrará em campo fazendo propaganda do próprio site? Quem é que está pagando a conta?

Pequenas observações sobre quase tudo ou quase nada (2)

É impressionante como coisas simples, muitas vezes, deixam você de cabeça pra baixo. No meu caso, uma febre quase constante de 39º que apareceu sem motivo aparente e que, constante, nos fez ficar de vigília entre antitérmicos, banhos e compressas durante quase dois dias, até descobrir a garganta inflamada e começar o tratamento que, aos poucos, foi devolvendo a boa disposição e o sorriso – além do sono tranqüilo. E se eu fiquei meio fora de órbita, e até Adriça e Joana deram seus plantões ao redor do berço, certamente vocês conseguem imaginar como ficou a mãe da moça. O pior é que até hoje (2011!) ainda há gênios que as acreditam como sexo frágil. Ahã…

Mas mesmo depois de quatro dias sem praticamente abrir o computador, ler jornal ou prestar muita atenção à TV, metido que sou, resolvi dar aqui alguns pitacos sobre algumas notícias relevantes dos últimos dias.

 

Mínimo

Tenho achado muito curioso todo o noticiário que vem de Brasília nos últimos tempos. Como todos sabem, será bastante discutido e provavelmente votado o reajuste do salário mínimo nesta semana. E vejam como o termo ‘curioso’ realmente cabe aqui. Sem entrar na discussão sobre se é certa ou errada, o fato é que foi criada e aprovada uma regra (que deveria valer até 2023) para os reajustes anuais do vale coxinha nacional. Então, se está havendo discussões, pressões etc., é porque neguinho está rasgando a regra. Será que estou enganado?

Noves fora, a discussão ficou tão acalorada que o próprio presidente da câmara, Marco Maia (do mesmo PT de Dilma), disse que haverá um amplo debate na casa. Como o governo tem ampla maioria e deve conseguir a aprovação da milionária quantia de R$ 545, não se sabe o quanto há de farofa (afinal, a população precisa acreditar que os caras estão lá para defender seus interesses) e o quanto há de pressão por outros interesses. O que se sabe é que as nomeações para o segundo escalão estão paradas, à espera do resultado da votação.

Então, não é mesmo curioso? Porque é claro que fisiologismo não passa nem perto disso e eu devo mesmo estar meio doido.

 

Senna

É, eu também caí na esparrela de que haveria um duelo entre Bruno Senna e Nick Heidfeld pela vaga de substituto de Kubica na Lotus Renault (a preta). Diga-se de passagem, a postura do brasileiro durante a semana foi sensacional. Além de entender e concordar com a busca por alguém mais experiente para o desenvolvimento do carro, aproveitou a chance de andar com um F1 de verdade. Depois de quase 70 voltas no circuito de Jerez, na Espanha, foi consistente, fez bons tempos e passou boas informações para o time. Ganhou quilometragem e se mostrou pronto para assumir o posto de piloto no caso de eventualidades. Enquanto isso, o alemão deverá mesmo ser o escolhido para a vaga e o anúncio deve sair nesta semana, antes dos próximos testes, que acontecerão em Barcelona.

Enquanto isso, a Globo não perdeu a chance de fazer uma matéria bem ‘mela cueca’ sobre o nome Senna e o carro preto e dourado chamado de Lotus. Aquele velho papo de Brasil-il-il que não leva ninguém a lugar nenhum.

 

Frenesi faraônico

E Mubarak caiu e assumiu uma junta militar. Com uma promessa: governar pelos próximos seis meses ou até que seja possível convocar eleições gerais. De quebra, o parlamento desfeito e a constituição rasgada (oficialmente, uma comissão fará sua revisão com consultas à população). Não sei vocês, mas ando encafifado com essas promessas do novo governo, tenho a impressão que já li algo parecido com alguns livros de História por aqui. Mas deve ser só uma cisma boba minha né. Afinal, todas as grandes nações apoiaram (mesmo que a contragosto velado) a mudança no país.

É claro que não sou louco, sou contra qualquer tipo de ditadura. Mas há que se observar com cuidado o que vai acontecer no Egito daqui pra frente. Não sei porquê, mas tenho a impressão de que haverá problemas graves no futuro, algo como uma nova ditadura de fundo religioso, devidamente disfarçada por eleições. Tomara que eu esteja errado.

Outra coisa a se observar com atenção é que a confusão na terra dos faros não foi a primeira a começar, mas a primeira a ter resultado concreto. E que uma espécie de efeito cascata já pode ser visto em outros países do Oriente Médio e da Ásia. Será um ano bem barulhento ao redor do mundo, podem esperar.

 

Farelo

Um pouco mais de F1, vou arriscar falar de pneus. Existem algumas maneiras óbvias de se utilizar a participação no automobilismo como publicidade de pneus. A maior delas é mostrar que seu produto é extremamente confiável: durável (econômico) e seguro. Foi o que a Bridgestone fez desde que é fornecedora F1, entre outras categorias).

Pois a nova fornecedora, a Pirelli, resolveu assumir outro caminho. Em parceria com os anseios da FIA e da FOM por corridas mais emocionantes, seus pneus praticamente se esfarelam na pista, obrigando pilotos a serem mais delicados ao volante e – ao mesmo tempo – obrigando equipes a pensar em estratégias diferentes das até hoje habituais. Mesmo que isso não seja apresentado claramente em sua publicidade, isso mostrará como os pneus (e a maneira como você os usa) pode mudar o comportamento de um carro, tornando-o mais ou menos seguro.

Sobre o resto da Fórmula 1, só faltam mais duas baterias de testes antes do início da temporada. E é a partir da próxima, em Barcelona, que será possível começar a entender a relações de força do campeonato que vem aí. A pista espanhola é fundamental por vários aspectos e muitos dos trunfos que foram escondidos até agora pelas equipes serão, finalmente, apresentados. Ainda será possível ver brilharecos deste ou daquele time em busca de patrocinadores, mas ao final da semana já saberemos – com raros desvios – quem vai brigar pelo quê durante o ano.

 

Paz insuportável

Então tá, desde sexta-feira a polícia federal faz operação no Rio, com mandados de prisão contra trocentos policiais civis e militares que revendiam a traficantes, parte do material apreendido (drogas, armas e munição) em operações nas favelas, inclusive naquela que virou propaganda de governo, no Alemão e na Vila Cruzeiro.

E aí, já ouvimos e continuaremos ouvindo expressões como ‘cortar a própria carne’(ou vocês acreditam que o nome “operação guilhotina” é por acaso?), ‘depurar a instituição’ e coisas do gênero.

Preciso admitir que estou positivamente surpreso, pois a coisa apareceu de maneira rápida para os nossos padrões. O problema é que é justamente por coisas assim que não perco a desconfiança de que todo o esforço feito até agora não passa de uma espécie de maquiagem para que o cenário esteja a contento para a copa de 2014 e os jogos de 2016. Mas vocês não tem noção de como eu quero estar completamente errado sobre isso.

 

Passou da hora

E o Flamengo goleou o Resende por 1 a 0 hoje e terminou a fase de classificação da Taça Guanabara com 100% de aproveitamento. Lindo! Só que, a despeito dos números, não vi o time jogar bem de verdade durante um jogo inteiro até agora. E, sinceramente, já passou da hora do profexô dar um padrão de jogo para o time. Porque a verdade é que, até agora, foi só baba. Tanto que o ex-Bacaxá passou para as semifinais em segundo no grupo.

Mas não há como negar que somos favoritos. Afinal, nosso próximo adversário conseguiu empatar com Bangu e Macaé. E o Fluminense perdeu para ele… O que me incomoda nessa história (é, sou mesmo fatalista e pessimista) são os tais 100%. Porque todo mundo sabe que ninguém é imbatível, e quanto mais tempo passamos invictos, mais perto estamos da primeira derrota. Tomara que não seja agora.

Noves fora, antes do jogo com o Botafogo, teremos a estréia na Copa do Brasil contra o Murici de Alagoas. Bom momento para o time encaixar, como gostam os boleiros, e começar a jogar bem. Porque a Copa do Brasil vale muito e 2 a 0 lá garante ao time uma semana livre de compromissos para treinar em paz.

 

Aposentadoria

Cá entre nós, já tinha passado muito da hora do gordo pendurar as chuteiras, já faz anos que luta de modo absurdo contra as contusões e o tamanho da barriga.

Talvez eu seja apedrejado agora, mas sempre (há testemunhas) disse que Ronaldo era um atacante excelente e só. É claro que sua história de voltas por cima, inclusive com seu desempenho na copa de 2002, são sensacionais. Ou fenomenais, vá lá. Foi um grande artilheiro que tinha problemas em cabecear, dava grandes arrancadas mas seus dribles nunca foram  fluentes (na maioria das vezes, passava pelos zagueiros aos trancos), nunca foi um bom passador, nunca chegou perto de ser um jogador completo.

Foi eleito três vezes o melhor do mundo, acredito que muito mais por ter brilhado em uma época de poucos craques (1996 e 97) e por seu desempenho em uma competição que dura apenas um mês (2002).Só falando em R, acho que fez menos do que Rivaldo, muito menos do que Ronaldinho Gaúcho e Romario foi só umas dez vezes melhor que ele. Nada disso tira seus méritos, de modo algum, mas não o coloca no Olimpo.

De qualquer maneira, não fez pouco, não conquistou pouco. Então, muito boa sorte, saúde e felicidade.

 

Indigna

A garota tramou o assassinato dos pais só para meter a mão na grana, confessou os crimes e, só depois de muitos anos, foi declarada oficialmente ‘Indigna’. Curioso, também, o juridiquês.