E agora?

Está todo mundo comemorando, afinal foi destruído o QG do crime organizado no Rio de Janeiro. Apesar de todo o aparato, a tomada do Complexo do Alemão teve o mínimo de violência. Então, há mesmo o que comemorar.

O problema é que não vejo nesse afã de celebrações algumas questões respondidas.

Minha primeira dúvida é sobre quanto tempo as tropas vão ficar por lá. Porque se toda a estrutura for desmobilizada daqui a uma semana ou quinze dias, voltará tudo ao que era antes.

Se falarmos de UPP, a estrutura montada para a grande invasão vai ser mantida até que sejam instaladas todas Unidades de Polícia Pacificadora necessárias? É, porque uma só não basta para a região. E quando teremos o efetivo necessário para trabalhar em todas as UPP do Alemão, sem desguarnecer o resto da cidade?

Outra dúvida é sobre para onde foram as principais cabeças do crime local, que não foram presos, que tiveram tempo mais do que suficiente para fugir antes do cerco e invasão. E quando falo em crime local é porque está todo mundo cansado de saber que quem manda mesmo, quem negocia internacionalmente sobre armas e drogas, que monta os esquemas logísticos e políticos não são aqueles molambos que posam reis, sem nem saber falar direito. E sobre esses, sobre quem manda mesmo, a gente não ouve uma palavra.

E só para não me alongar muito, última dúvida: e resto da cidade, outras favelas grandes, que são referência, outros QG do tráfico ou congêneres? Cito apenas duas: Rocinha e complexo da Maré.

Já que o pau cantou na última semana, já que a população – em peso – apoiou todas as ações, já que todas as esferas competentes já estão mobilizadas, já que tropas estaduais e federais já trabalham bem em conjunto, não seria a hora de arrebentar com o negócio todo?

A verdade é que ainda desconfio que em muito pouco tempo, tudo voltará ao normal. E é isso que ninguém gostaria. E é por isso que quando vejo alguém ‘pedindo’ paz é que retruco na hora: a hora de é de guerra. Alguém é capaz de me convencer do contrário?

Anúncios

Um comentário em “E agora?

  1. Agora é a hora de continuar reformas. Revisar o salário das nossas forças policiais, revisar o esquema de trabalho e acabar com a escala 24/72h, botar em pauta novamente remoções de favelas (todos vimos o quanto o territorio complica ação da policia), e por ai vai….

    São passos de uma longa caminhada, espero que sejam feitos e cedo ou tarde caira cada reduto do trafico de drogas.

    Curtir

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s