Paraty

coracao01Abri o post com essa foto digna de uma música do Wando para agradecer a um amigo. Fomos a Paraty no final de semana porque ganhamos um presente, daqueles que não se tem como esquecer e, nem mesmo, agradecer.
Marcos e Zélia nos proporcionaram uma espécie de segundo tempo da lua de mel na Pousada das Andorinhas, com direito – como vocês podem ver – a coração de pétalas de rosa e champagne. Depois de tudo o que já foi dito pessoalmente, e na falta de palavra menos óbvia, obrigado. Muito obrigado.
Chegamos a Paraty na sexta à noite e fomos recebidos pela turma com churrasco e cerveja. Vocês devem estar se perguntando “como assim, turma?!”, já que falei em lua de mel. Pois esse é o lado engraçado da coisa. A notícia da viagem vazou e o que era pra ser um encontro romântico se transformou no encontro de final de ano do Boteco 1.
Armando, Aline e sua amiga Joana; Morcegão e Marisa; Rial e Aurete; Oscar e Louise; La Torre, Helô e filhos; Elisa; Humberto; Igor; Pimenta; Luca e Tânia; a presidente ClauPenPen; Marcos e Zélia.
A previsão era de chuva, que não aconteceu. No sábado o sol apareceu com vontade e aproveitamos para ir à praia. Fomos até São Gonçalo e, de lá, fizemos a travessia de uns 10 minutos até a Ilha do Pelado. O cenário é paradisíaco. Água transparente e a natureza em volta exuberante. A área visitável da ilha tem três praias separadas por pedras, mas é possível – quase fácil – passar de uma pra outra. Em cada uma, um bar.
pelado04pelado01Ficamos na praia do meio, no Bar da Bete. Esperava uma facada, pois abastecer um bar no meio do mar não é barato, mas até que os preços são bem honestos. A garrafa de cerveja a R$ 4 e a lata de refrigerante a R$ 2,50 não são absurdos e ainda comemos uma porção de aipim (R$ 10) grande e gostosa como há muito não vejo por aí.
pelado03pelado02Na volta para a pousada, fizemos uma parada em um dos muitos mirantes maravilhosos da Rio-Santos e, ao chegar ‘em casa’, mais churrasco. Além da já tradicional picanha do Morcegão, peixe na brasa com molho especial. Enfim, mordomia total.
À noite, um passeio rápido pelo centro histórico que inaugurou nova iluminação nesse final de semana. Sinceramente, continua lindo mas não vi diferença…
Domingo era dia de vir embora. Pior, tinha que sair cedo porque, acreditem, tinha que trabalhar. Mas ainda deu tempo de uma passada rápida na Murycana, fazenda-engenho do século XVIII. Depois, pé na estrada.
murycana04murycana03O final de semana foi muito curto. Tão curto quanto gostoso. Mais uma vez, obrigado ao casal de amigos Marcos e Zélia pelo presente. E a todos os amigos pela companhia.
•••
adrica0002Como cocô e xixi no lugar certo são grandes desafios para a Adriça, resolvemos jogar pesado com ela. Recorremos à tática de educação de nossas avós e bisavós. Ela está ajoelhada no milho e de frente pra parede desde que chegamos de viagem. Será que vai dar jeito?
Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s